ÍNDIA - Goa, Kerala e Mumbai - 2009

Índia 2009, foi a minha segunda grande viagem e a mais intensa. A Índia, é um misto de várias emoções, emoções essas, que nos percorrem o tempo todo em que lá estamos. Tanto nos transmiti um sentimento de felicidade e beleza, como de desespero e raiva...

A beleza no conceito global da vida, é um sentimento muito subjectivo. Algo invisível, que cada um de nós vai construindo e definindo à medida que vamos crescendo como pessoas. Dependendo do nosso estado emocional e das situações envolventes, nem tudo é belo, nem tudo é feio, e a Índia é um misto das duas coisas...

"Nas grandes batalhas da vida, o primeiro passo para a vitória é o desejo de vencer."                    Mahatma Gandhi

A minha visão pessoal, sobre a Índia...


Há poucos sítios no mundo que mais nos marque, que a Índia...        

Lar de mais de 1.300 milhões de almas. 3. 287. 00 km2 de área geográfica sub-continental. 2 línguas oficias (Híndi/Inglês), 21 outras línguas reconhecidas oficialmente e dezenas de outras línguas e idiomas. 4 grandes religiões e uma imensidão de muitas outras. Berçário antigo das mais antigas civilizações e culturas humanas, fazem da Índia um lugar único no Mundo e um dos mais apetecíveis de se visitar...

Preparação da viagem...

Depois de já termos estado dois anos antes nas Filipinas, ir até à Índia, não me pareceu ser nenhum "Bicho Papão"... na verdade não foi, mas dá um frio na barriga desgraçado e algumas dores de cabeça. Por mais informação e preparação que se consiga obter e assimilar, na Índia tudo pode acontecer ao contrário do que planeámos...

 Como viajante temporário de um determinado lugar, procuro concentrar-me em algumas zonas pré estabelecidas e explorar esses sítios dentro do tempo que disponho. Muito antes do inicio das viagens, faço uma preparação mais ou menos meticulosa sobre o país que vou visitar. No caso da Índia, foram alguns meses a preparar a viagem... além do passaporte, com a validade em dia, à que tratar dos vistos, consulta médica do viajante e vacinação. A Índia tem doenças tropicais terríveis, por isso não convém facilitar. Passaporte e vistos, também não...                           

Introdução à viagem:

Duas semanas na terra onde as vacas são sagradas...

Em 2009, estava-se no clímax da crise financeira instituída na Europa e mais além. Nós como muitos outros Portugueses e cidadãos do Mundo, estava-mos a viver um período chamado de "Aperto Financeiro", depois de muitos anos de vacas gordas... Perante esse cenário aparentemente "Apocalíptico", resolvemos deixar todo para trás e ir duas semanas para o mais longe possível e que o nosso dinheiro permitia...

Viajar na Índia...

Não me classifico como um Turista no clássico significado da palavra , nem como um Mochileiro dono do seu próprio tempo e destino. Gosto de me designar, como um Viajante, um viajante temporário. Como tal estou entre essas duas designações, aproveitando talvez o melhor entre essas duas vertentes de Viajar.          Movimentarmo-nos nessas condições de Viajante na Índia, não é lá muito fácil... Infelizmente a maioria dos indianos, vem-nos como um alvo muito apetecível para massacrar  constantemente com as suas manhas e truques na arte de sacar o mais dinheiro possível em todo o que nos fazem ou vendem... em algumas situações, chega a ser bastante enervante. É desagradável o facto de acharem que todos os Ocidentais que visitam o seu país, são ricos e como tal se estão ali, devem ser completamente depenados... compreendo a pobreza, não compreendo a indiferença.                                Diz-se que na Índia, só ao fim de algum tempo de se lá estar, se começa a ganhar alguma imunidade emocional. Por ali, ainda impera a estratificação social milenar e a pobreza (mais de 800 milhões) é o ferro que corroí, que transforma os Homens em bestas humanas e nos leva a questionar a nossa própria existência. Só com o tempo, começamos a compreender parte da sociedade complexa, que é a Índia...

Para invitar todos esses transtornos e outras situações menos boas,  maioria das pessoas que visitam a Índia, já vai com pacotes turísticos (caríssimos) pré comprados nos seus países de origem. Para esses, geralmente a Índia, é o máximo dos máximos... As deslocações desses Turistas, praticamente resumem-se às suas voltinhas com guias locais, em confortáveis Min-Bus com ar condicionado, do Hotel para os pontos X ou Y e de volta ao ponto de partida e pouco mais... da sociedade indiana, levam apenas sorrisos e cheiro de incenso. O mau cheiro e os pobres, ficam quase sempre longe dos seus percursos idílicos.

Os chamados de "Mochileiros" os grandes aventureiros, a aventura fica num outro patamar de espírito sobre o Mundo... Para esses o tempo não conta e o lugar onde vão estar, também não. Alguns fundem-se de tal forma com o meio envolvente, que por vezes é difícil distinguir, quem é quem...                                                                      Infelizmente, esse é um patamar demasiado alto para mim. Não tenho dinheiro, nem tempo disponível, para embarcar nessas aventuras da vida. Por esse motivo, resta-me apenas a resignação em ser um mero "Viajante Temporário"...

J.P Oliveira

Observações:

Positivo: a partir de Portugal, é possível conseguir-se um excelente preço para as passagens de avião, dependendo da antecedência em comprar as passagens online...                                   Negativo: o visto é obrigatório para cidadãos de Portugal e é caro. O que poupa nas passagens, gasta nos vistos...

Bastante negativo: Infelizmente a maioria das praias na Índia (continental), só são boas para as vacas sagradas...

Das duas vezes em que já estive na Índia, uma das coisa que mais me deixou frustrado, foi o facto de não poder nadar no mar. Dos muitos quilômetros do litoral que percorri, tanto em Goa, como em Kerala, (dois dos estados com as melhores praias da Índia, continental) em alturas do ano diferentes, o resultado foi sempre o mesmo. Não consegui em lado nenhum, ver água do mar suficientemente transparente para conseguir ver os meus pés, a poucos centímetros da margem... a cor da água em todo o lado é sempre a mesma, castanha. Em Mumbai, é cinzenta e cheia de todo que se possa imaginar...

Quando vejo imagens idílicas de praias na Índia (continental) em alguns sites de viagens, só posso chegar a duas conclusões; Tive muito azar, ou escolhi mal a altura do ano para lá ir. Duas vezes na Índia e não vi praias idílicas com água azul turquesa ou verde esmeralda. Provavelmente, tive mesmo muito azar...

Nota: A foto da imagem de fundo, foi tirada por mim, em Setembro de 2009, Goa. Penso, que é bastante esclarecedora...

Goa - Primeira parte da viagem... 

Goa, ainda tem um significado muito especial para os Portugueses. Pelo menos para os mais velhos, ou para aqueles que conhecem e se interessam um pouco pela história de Portugal...                                                                                    Para mim, tem um significado muito grande e ainda mais, para a minha mulher. Parte da família materna dela, são Goeses e essa foi uma das grandes razões que nos levou a ir à Índia, em particular a Goa.

Lamentavelmente a chuva persistente, limitou-nos a estadia em Goa. Com o calor que estava, a água da chuva transformou-se rapidamente numa humidade quente e pegajosa, que se agarrava à pele como uma goma infernal...

Apesar de Goa, se orgulhar de ser um dos estados da Índia com o BIP per capita mais elevado, na verdade isso pouco ou nada se nota. No geral, até achei Goa, bastante decadente. A maioria dos sítios por onde andei, mostravam sinais evidentes de grande degradação. A pobreza extrema, é bem mais do que supostamente seria de se esperar ver, num estado considerado um dos mais ricos da Índia...

A minha opinião, sobre Goa...

Goa, não é provavelmente o estado da Índia, mais interessante para se visitar. Pelo menos para mim, não o foi. E provável que também não o será, para quem quiser ver e sentir a verdadeira Índia milenar... a Índia, das mil cores e cheiros, do Sr. Ganexa, ou de Shiva.                                                                                                  Pessoalmente, gostei de Goa por diversas razões, mas não foi a parte da Índia mais interessante que visitei.

Historicamente o estado de Goa, esteve sobre o domínio Português por mais de 400 anos. Durante esse espaço temporal, os Portugueses deixaram bem marcada a sua pegada Ocidentalizada, naquela parte da Índia... Goa, não tem grandes e belos Palácios dos Marajás, nem outras grandes referencias arquitetônicas que nos leve ao clímax da satisfação visual. O mais significativo a salientar no aspecto arquitetônico, são as bem preservadas Igrejas e Conventos, que são Património da Humanidade e as zonas envolventes ás mesmas. Interessante também, são as casas de traço arquitectónico colonial Português. As ruas e bairros, que ainda tem nomes Portugueses. Vale a pena um passeio a pé com calma por essas zonas, redescobrir cada canto e ruela, onde ainda se sente o cheiro da história. Infelizmente a maioria desse património, esta numa acentuada decadência. Dá imensa pena ver parte dessa história, simplesmente a transformar-se em pó. Principalmente, se for Português. Os Fortes e Fortalezas, são quase sempre visitas obrigatórias em todos os roteiros turísticos. Dos que visitem, ficou-me na retina ocular, a Fortaleza de Aguada, tem uma vista magnífica sobre a entrada da barra do rio de Mandovi. Não estava muito mal cuidado, mas uma boa parte das muralhas, estavam quase engolidas pela vegetação, na altura em que lá estive. No extremo norte de Goa, o Forte_de_Tiracol, também vale o esforço para lá chegar... além do ser bonito, tem uma vista magnífica sobre a barra do rio Terekhol. Actualmente parte do forte, é um hotel. Não dormi lá, mas refastelei-me com um bom almoço...

A Índia tenta vender uma imagem idílica do país ("Incredible India") para os turistas, o que não corresponde lá muito bem ao que querem vender... e Goa, não é excepção.  Na minha modesta opinião, vale a pena lá ir, mas não perder por lá muito tempo. Há sempre muito mais para se ver em Goa, dependendo dos gostos e objectivos de cada um, mas nada que seja imperdível de não se ver, em comparação a outras partes da Índia...  

Alguns conselhos, para Goa... 

Não pense demasiado para lá ir, vá e deixe o tempo correr...                                                                                                                Com o ou sem pacote turístico, planei bem a viagem. Tente ficar na zona mais central de Goa, e dai fazer incursões a sul e a norte com mais facilidade, redescobrindo o encanto de lugares diferentes. Andar de táxi ou tuk-tuk, é relativamente barato em toda a Índia... o tuk-tuk, é o transporte ideal para pequenas e médias distancias, na Índia. Aconselho a negociar o valor de todas as viagens, antes do inicio das mesmas. Escolha bem a altura do ano para lá ir, a chuva pode tornar-se num grande obstáculo, à viagem. A mim, foi...                                               

Nunca tive problemas de segurança, em qualquer parte da Índia por onde andei, mas convém estar bastante atento. Em Goa detectei, gente complicada... o mais aconselhável e prático nas deslocações (em toda a Índia), é arranjar um taxista ou condutor de tuk-tuk, simpático e fazer um acordo para cada viagem e dependendo do numero de viagens, ficamos com um "amigo". Isso garante uma maior segurança e é bastante mais interessante nas deslocações. Eles, geralmente conhecem bem a sua região. Dessa forma, já consegui estar em sítios muito bons, sem qualquer turista à vista... De resto, é só andar e andar de um lado para o outro e gozar o prazer de lá estar! 

Imagens de Goa

NOTA IMPORTANTE: Todas as imagens e textos, nesta e nas outras páginas do site, são fotografias e textos meus e não artigos retiradas na Net... por favor, respeite os direitos de autor Copyright (c).   

Kerala - Segunda parte da viagem...

A nossa saída antecipada de Goa devido à chuva, acabou até por se revelar uma feliz sorte... 

Goa, ficou infelizmente um pouco aquém da minha prospectiva visual gustativa. Sair de Goa, uns dias mais cedo do que era previsto, aumentou o nosso tempo de visita em Kerala e ali, ganhamos o  nosso"Jackpot" da viagem...

Kerala, é um dos estado da Índia, mais agradáveis de se visitar. Tem o maior Índice de Desenvolvimento Humano, a mais alta expectativa de vida e a população mais alfabetizada, de todos os estados Indianos. Ali, realmente não há fotoshop... Vale a pena visitar Kerala.

Ao contrario das condições climatéricas desagradáveis de Goa, em Kerala estava um tempo magnífico.                                                                                                                      A Índia é praticamente um continente e dependendo da zona geográfica do país, o clima pode mudar radicalmente... no voo doméstico de Goa para Kerala, fizemos escala em Chennai (*imprevista) que fica extremo sul, virado para a Baía de Bengala. Ali, já não chovia à mais de um mês e estava um calor seco insuportável...

*imprevista; porque na Índia tudo pode ser imprevisto. Comprei as passagens sem escalas (Goa/Kerala), o que ficou um pouco mais caro, por ser um voo directo. Mas, na Índia é assim, tudo pode ser imprevisto... e não vale a pena reclamar muito, ou ficar também muito irritado com essas circunstâncias imprevistas. Quem vai visitar a Índia, tem que estar preparado para ter, muita e muita paciência... 

A minha opinião, sobre Kerala...

De Goa para Kerala...

...a inesperada viagem de avião, que nos levou a atravessar metade da Índia, só para chegar a Kochi...                                                                                                    A nossa estadia no estado de kerala, limitou-se quase exclusivamente à área geográfica do litoral no distrito de Ernakulam, mais concretamente em  Kochi ou (Cochin) na parte velha da cidade e mais a sul, na preferia do lago Vembanad. 

Quando chegamos a Kochi, andamos um pouco perdidos, sem saber lá muito bem como chegar aos locais que queria-mos ir visitar. Tinha-mos acabado de sair do estado mais pequeno da Índia, para um outro bem maior e inicialmente mais confuso de nos deslocar-mos... Depois de nos recompormos e ultrapassados todos os obstáculos iniciais da adaptação, acabou por ser a melhor parte da viagem. Foi uma boa escolha...

Longe das grandes áreas urbanas caóticas e barulhentas, as zonas rurais são um paraíso verde, bastante apelativo à tranquilidade. O lago Vembanad, dá um toque subtil à paisagem, que alterna com o verde luzidio dos arrozais. A dimensão do espaço liquido, aglutina a nossa percepção de grandeza. O lago é tão largo, que não se consegue deslumbra ambas as margens, do ponto oposto. Para o interior, os canais ramifica-se e ziguezagueiam a longo de muitos quilômetros, a vida corre em múltiplas cores e cheiros. Ali, a água é rainha liquida, que serve para tudo à vida. Barcos correm em direcções opostas, as mulheres lavam a roupa na pedra gasta pelo tempo de tanta esfrega, ou carregam a água nos potes para cozinhar. As crianças brincam nas margens e refrescam-se do calor no líquido opaco, mas cheio de vida. É incrível imaginar, que aquela água de cor duvidosa, serve literalmente para tudo à vida...

"O sistema de zonas húmidas de Vembanad cobre uma área de mais de 2033,02 km² tornando-se assim o maior sistema de zonas húmidas na Índia."

Junto ao lago Vembanad, ficamos magnificamente instalados num fantástico resort, nas margens do lago. Pequenos prazeres extra, por vezes ficam caros... mas, esse valeu cada cêntimo que paguei. Como estadia ainda mais "cool", há os típicos e famosos barcos casa (houseboat). Barcos que ancestralmente eram de famílias dos pescadores do lago e que agora estão quase todas convertidos para o turismo. Totalmente renovados e equipados para navegar pelo lago durante vários dias ao sabor das marés e das vontades de cada um e poder pagar...


 


Kochi...